Vai voltar?!

 Vai voltar?!

Ao que tudo indica as aulas presenciais em Minas Gerias, e automaticamente em Bocaiuva, retornam em fevereiro

Governador garantiu que as escolas estão preparadas para o retorno dos estudantes, mas lembrou que a pandemia irá ditar a data da volta.

Empório Natural

A expectativa do governador Romeu Zema (Novo) é de que os estudantes mineiros retornem para as salas de aula em fevereiro de 2021. Ele garante que as escolas estão preparadas para receber com segurança todos os alunos. Contudo, frisou que a volta às aulas presenciais depende dos rumos da pandemia.

Em entrevista exclusiva à rádio Super, o chefe do executivo comentou que, ao que tudo indica, o Estado enfrenta uma segunda onda de contágio da Covid-19. Porém, a situação tende a ser controlada no início do próximo ano. “Nós estamos lidando com um inimigo que, além de invisível, é imprevisível. Mas eu gostaria muito que as aulas retomassem em fevereiro. Vamos acompanhar e fazer isso com segurança”, declarou.

Apesar do desejo do retorno das aulas presenciais para o início do semestre que vem, Zema lembrou que a questão da educação em Minas Gerais está judicializada. Em outubro, uma liminar expedida pelo Tribunal de Justiça impediu a reabertura das escolas em municípios na onda verde do Minas Consciente. “Então, hoje, essa questão do retorno das aulas está judicializada. Se dependesse de mim, governador, voltaríamos em fevereiro. Até porque vamos completar um ano parados”, disse.

Ao mesmo tempo em que os prefeitos de alguns municípios, a exemplo de Belo Horizonte, endurecem a fiscalização para impedir aglomerações e outros riscos de disseminação da COVID-19, diante da elevação dos casos de contaminação e do perigo de uma segunda onda de infecção,  cidades do interior de Minas Gerais se movimentam para resolver um problema que pode comprometer a formação da atual geração de crianças e adolescentes, o polêmico retorno das aulas presenciais.

Um dos primeiros municípios a tratar da questão é Coronel Fabriciano, no Vale do Aço, onde a as escolas foram reabertas “em caráter experimental”,  na segunda-feira, para os alunos dos anos finais (sexto ao nono) do ensino fundamental e da Educação para Jovens e Adultos (EJA). As prefeituras de Varginha e Pouso Alegre, no Sul de Minas, definiram a volta às aulas nas redes pública e privada em 1º de fevereiro de 2021. De acordo com o prefeito de Varginha, Vérdi Lúcio Melo (Avante), o anúncio foi antecipado para que seja possível preparar o calendário. Na reabertura das escolas, as aulas começarão no sistema misto, presenciais e também a distância.

Professores da rede pública e privada de Belo Horizonte saíram bastante confiantes após encontro com representantes da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), nesta sexta-feira. Foi solicitado a flexibilização do protocolo apresentado, que diz que as aulas presenciais só voltarão após atingir a taxa de incidência de 20 casos por 100 habitantes há cada 14 dias.

A declaração é de Mariana Bórtio, que representa a categoria e defende que as escolas deveriam ser as primeiras a abrir e as últimas a fechar.

“Saímos confiantes, conseguimos ser ouvidos para essa abertura em fevereiro de 2021, mas seguiremos acompanhando de perto as ações do Comitê, da Prefeitura e da Secretaria de Educação para que seja construído esse caminho, da forma mais segura e rápida possível”.

É claro que irá depender da vacinação, de como que a pandemia se comportará até lá, mais o fato é que o retorno às aulas, principalmente em Bocaiuva, seria fundamental para os estudantes na sua vida futura profissional.