Sette Câmara faz balanço da gestão à frente do Galo: ‘Entregamos melhor do que recebemos’

 Sette Câmara faz balanço da gestão à frente do Galo: ‘Entregamos melhor do que recebemos’

O presidente, que está de despedida do Atlético, concedeu entrevista exclusiva à Itatiaia

Presidente do Atlético entre 2018 e 2020, Sérgio Sette Câmara fez um balanço da gestão à frente do clube. Em entrevista exclusiva ao programa Bastidores desta quinta-feira (10), o mandatário disse que entrega o Galo melhor do que recebeu e coloca-se à disposição do substituto Sérgio Batista Coelho, único candidato nas eleições que serão disputadas nesta sexta-feira (11). Ouça a entrevista completa no player disponível abaixo da foto.

“A gente entende que o Galo que entregamos é um Galo bem melhor do que aquele que recebemos. Eu acredito que as sementes foram lançadas. Nós construímos um alicerce para que o Sergio Coelho possa performar e, claro, continuar melhorando ainda mais o nosso time”, disse.

Conforme Sette Câmara, quando assumiu, o Atlético desconhecia a verdadeira situação financeira. “O Atlético tinha e tem uma situação complicada. Isso é inegável. A diferença é que nós tínhamos noção do tamanho do buraco. Fizemos algumas auditorias, logo na nossa chegada, e ali nós ficamos bastante assustados porque o buraco era maior do que a gente imaginava”, alega.

Na avaliação de Sette Câmara, não havia “mecanismos de controle nem programas” para que fosse feito “análises confiáveis” da vida financeira do clube. Entre os principais feitos na sua gestão, o mandatário cita os investimentos feitos em auditorias que, para ele, tornou-se possível compreender o nível do endividamento.

“Fizemos o diagnóstico, entendemos qual a doença e agora estamos dando o remédio certo”, conclui.

Enquanto os dois primeiros anos de mandato foram marcados por austeridade e contenção nas despesas, o terceiro foi marcado por investimentos. Sette Câmara comentou sobre o papel fundamental dos investidores na formação do atual elenco.

“A gente passou a trabalhar sempre juntos, também na montagem do elenco. Várias cabeças, pensando no bem do Atlético, a gente conseguiu reiniciar, ou dar uma nova cara ao time e ao clube. Pensando grande de uma maneira correta, planejada, calculada, e não como que nós vimos acontecer com o Cruzeiro, que está passando as dificuldades que a gente está vendo aí”, diz.

Sette Câmara também acredita que fez uma “transformação” nas categorias de base do clube, e que conseguiu uma quantidade expressiva de sócios em meio à pandemia de covid-19. “Na maioria dos clubes houve redução. Fruto de um trabalho no sentido de se implementar um sócio decente. Saímos de 19 mil em março para quase 60 mil. Isso é um fenômeno”, diz.