Onde é o meu lugar na sociedade

José Roberto Limas da Silva

“Então, trouxeram para fora o filho do rei, puseram-lhe a coroa, entregaram-lhe o Livro do Testemunho e o constituíram rei; Joiada e seus filhos o ungiram e gritaram: Viva o rei!” (2 Crônicas 23. 11).

Nosso texto, hoje, será num formato de devocional, onde tentaremos compreender nosso lugar no mundo. Sendo assim, vamos ser mais informais, mas sem perder a gravidade do assunto. Muito bem! Comumente as pessoas se angustiam diante da dúvida sobre o lugar que elas devem ocupar na sociedade. O texto, em epígrafe, nos oferece boas pistas para entendermos onde é o nosso lugar na sociedade e, sendo assim, vamos analisá-lo.

A história da consagração do rei Joás, mencionada acima, nos mostra que, para ocupar o trono, ele precisava preencher algumas exigências. De igual maneira, nosso lugar na sociedade é determinado pelo cumprimento de alguns requisitos. No caso do aspirante ao trono, ele precisava ter ascendência real, ter a aprovação dos seus súditos e a bênção de Deus. Essas três condições foram atendidas haja vista que ele era filho do rei precedente, foi coroado pelo povo e recebeu o Livro do Testemunho (que significava a aprovação de Deus).

Considerando, agora, nossa situação na sociedade e o desejo que temos de ocupar os lugares que nos pertencem por direito, precisamos atender às exigências que o rei Joás cumpriu. Devemos, apenas, contextualizá-las à nossa realidade. Vamos lá, então! A primeira condição exigida é ter em si mesmo os atributos para ocupar aquela posição (como o candidato a rei que tinha sangue real). Essa exigência é muito importante porque precisamos ter o testemunho de nossa própria consciência de que devemos estar ocupando àquela posição na sociedade.

A segunda exigência está relacionada com o reconhecimento da sociedade em relação ao papel social que desempenhamos nela. O testemunho das pessoas é um quesito indispensável para o ingresso em uma atividade social relevante para a sociedade. Não havendo a aprovação da sociedade quanto ao lugar que ocupamos nela, havemos de reconsiderar nossa investidura naquele espaço. Já, a terceira exigência, esta é a mais importante, pois está ligada à aprovação de Deus quanto ao nosso comportamento diante dele. Logo, não tendo o testemunho de Deus em nosso favor, corremos o risco de trabalharmos em vão, desperdiçando nossos talentos numa atividade que Deus não deseja que a desempenhemos.

Portanto, devemos buscar a aprovação de Deus naquilo que desejamos desempenhar na vida social, não esquecendo que precisamos também da aprovação da nossa própria consciência, assim como o testemunho favorável dos nossos concidadãos. Por fim, se preenchermos as três exigências pré-mencionadas, temos a certeza de que essa passagem bíblica diz respeito a nós: “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão” (I Coríntios 15. 58).