Legalização

 Legalização

Senado da Argentina vota legalização do aborto; veja onde prática é permitida

Na América do Sul, só Uruguai e Guiana permitem a interrupção voluntária da gravidez de acordo com a vontade da mulher. ONG estima que mais de um terço da população mundial vive em países onde o procedimento está dentro da lei.

Os debates sobre a legalização do aborto no Senado da Argentina devem se estender ao longo da noite desta terça-feira (29), ainda sob grande indefinição. Caso o projeto de lei seja aprovado, o país sul-americano será o 67º no mundo a permitir a interrupção da gravidez, segundo dados da ONG Center of Reproductive Rights (CRR)

De acordo com o CRR, 36% da população vive em países onde o aborto por opção é uma prática dentro da lei. Cada legislação varia de acordo com o tempo em que a gravidez pode ser voluntariamente interrompida.

Pelo projeto apresentado pelo presidente argentino, Alberto Fernández, o período máximo de gestação em que o aborto seria permitido é de 14 semanas.

Na América do Sul, o aborto só é legalizado na Guiana e no Uruguai. O Brasil permite apenas em casos de estupro, quando há risco para a vida da mulher ou em casos de anencefalia.

Alguns países que mais recentemente aprovaram o aborto são Irlanda e Chipre, ambos em 2018. A Nova Zelândia também passou a permitir o procedimento em março deste ano.

Fonte: G130