Filas e aglomerações em plena Pandemia

 Filas e aglomerações em plena Pandemia

Devido à diminuição do horário de funcionamento do Comércio local, decretado pela prefeitura, munícipes se aglomeram em filas.

Os números da COVID-19 vem aumentando exponencialmente em todo o nosso país, tanto o de contaminados, quanto o de mortos, vem com o de curados também, ainda estamos enfrentando uma crise nunca anteriormente vista por nossa e por outras 4 gerações.

Na maioria dos casos nós não sabemos como lidar, como posicionar, como reagir a tal situação e ficamos totalmente dependentes dos nossos governantes, que foram escolhidos através de votação popular para ocuparem os cargos ao qual se dispuseram candidatar.

Entendemos perfeitamente que é um momento ímpar em nossa história e que assim como nós, simples cidadãos, os governantes também estão tentando achar a melhor solução para atravessar essa fase negra na nossa história da melhor maneira possível, com o menor número de baixas e com uma economia o mais estável que se consiga manter nesse caos.

Porém acreditamos que a decisão da prefeitura em decretar um novo horário de funcionamento do comércio local, nos último 15 dias, não foi satisfatório, nem para os comerciantes, que tiveram que reajustar as suas rotinas internas e empregatícias com os seus funcionários, muito menos com os cidadãos bocaiuvenses que tiveram que administrar o seu tempo de forma reduzida para cumprir com as suas obrigações de pagamentos de contas e compras das mais diversas possíveis.

Ou seja, todos mantiveram os seus afazeres e as suas rotinas nas ruas, porém, como o tempo destinado para tal foi encolhido, o que nos restou na cidade foram filas e aglomerações em vários locais, o que prejudica o atendimento, estressa o cliente e dificulta as resoluções dos afazeres diários.

E o objetivo principal que era o isolamento e a diminuição do contágio não teve o resultado esperado, pois os boletins diários fornecidos pela própria prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde, nos informa de cada vezes mais casos, tanto de suspeitos, quanto de confirmados.

Os casos confirmados pode-se colocar na conta de casos suspeitos retroativos aos decretos municipais, porém, a quantidade de casos suspeitos vem numa crescente vertiginosa, e esses não podemos colocar na conta do passado, do contágio anterior ao decreto, mais sim, a sua grande maioria, se deu durante o decreto.

Desta forma a impressão que fica é que uma medida que interferiu na rotina diária de todos os bocaiuvenses, não surtiu o efeito esperado no controle da epidemia, somente causou um desconforto e prejuízo para os cidadão e comerciantes que já estão há muito fragilizados pela pandemia.