Faixas com pedidos de tratamento “sem clubismo” ao Cruzeiro são expostas perto de sede da PGFN

 Faixas com pedidos de tratamento “sem clubismo” ao Cruzeiro são expostas perto de sede da PGFN

Pelo menos quatro faixas foram anexadas próximas à sede da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional em Belo Horizonte; clube mineiro vem sofrendo diversos bloqueios e derrotas judiciais em razão de dívida milionária com a União

Pelo menos quatro faixas pedindo tratamento da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional ao Cruzeiro foram colocadas próximas à sede do órgão federal, localizada na região Centro-Sul de Belo Horizonte. A autoria é desconhecida.

Uma das faixas pediu que a PGFN encerasse a perseguição ao Cruzeiro, “maior instituição de Minas Gerais”, segundo os dizeres. Outro pediu que servidor público tratasse o clube de forma imparcial e sem clubismo.

O Cruzeiro vem tendo derrotas judiciais importantes, nas últimas semanas, em relação de dívidas que ultrapassam os R$ 300 milhões com a União. A executante tem sido a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, que tem frustrado o clube em algumas importantes ações realizadas para angariar fundos ou destravar batalhas judiciais.

Duas delas bastante significativas: primeiro a não homologação do acordo com o Mineirão, que reduziria a dívida do clube de R$ 32 milhões para R$ 20 milhões. E a outra foi o bloqueio da venda do imóvel da sede Campestre 2, valor que, se obtido, seria utilizado para pagar dívidas com clubes estrangeiros em discussão na Fifa.

A disputa, que antes era judicial, partiu também para a política. Após as decisões, o Cruzeiro emitiu uma nota, apontando “estranha desproporcionalidade” quanta a decisões da União, desfavoráveis ao clube mineiro.

A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) respondeu à nota cruzeirense no final da última semana e garantiu se pautar “ exclusivamente pelos princípios da legalidade e da impessoalidade”. O órgão disse reconhecer os esforços do clube mineiro e que estava aberto ao diálogo.

Fonte: GE