ESSA MULHER…

 ESSA MULHER…

Em Bocaiuva, Prefeita Marisa Alves reclama de tratamento “hostil” direcionado a ela durante pronunciamentos da Câmara Municipal

Prefeita reclamou da forma, segundo ela, desproporcional em que alguns vereadores se manifestam a seu repeito se referindo a mesma, muitas das vezes, como “essa mulher” ou “a Prefeita”. Durante fala, Prefeita foi imediatamente repreendida por vereadores

A Prefeita de Bocaiuva, Marisa Alves, reclamou diretamente com os vereadores de Bocaiuva, a forma, a que considera desproporcional, em que os mesmos estariam se referindo a ela nas reuniões da Câmara Municipal. Marisa quis expôs que, pelo fato da chefe do poder executivo ser alguém do sexo feminino, os parlamentares estariam usando de termos inapropriados para se direcionar a ela. Entre as falas dos vereadores, as que mais têm incomodado a Prefeita é o fato dos parlamentares se referirem a ela como “essa mulher” ou “a Prefeita”.

Empório Natural

A reclamação pública por parte de Marisa ocorreu na manhã desta segunda feira (20/07) durante reunião entre Prefeitura Municipal, Câmara Municipal e Emater a fim de discutir o processo de flexibilização aos trabalhos dos agricultores familiares na comercialização de produtos em espaços públicos da Cidade. Estavam presentes na reunião, além da própria prefeita e membros do executivo local, representantes da Emater e Vereadores da Câmara Municipal.

Após os discursos de alguns vereadores, dando opiniões diversas sobre qual a melhor forma de se permitir as atividades dos feirantes em espaços públicos da Cidade, Marisa então iniciou suas falas e pediu ponderação aos vereadores na relação com o executivo e citou como exemplo o fato de muito se referirem a ela sem citarem seu nome, mas lhe chamando de “essa mulher” ou “a Prefeita”.

Neste momento, as falas de Marisa foram imediatamente interceptadas por vários vereadores que se sentiram desconfortáveis na posição de “machistas”. O mais incisivo foi o Presidente da Câmara, Pedro Neves dos Santos (Pedro Cerol). Pedro, em tom ríspido, disse que a Prefeita não poderia provocar essa discussão de “homens contra mulheres”, pois isso não existe, haja visto, segundo ele, que muitos vereadores que estavam na reunião, já sabiam que ela era mulher quando resolveram apoiá-la nas eleições de 2016.

Percebendo a revolta entre os Vereadores, a prefeita não quis dar sequência a discussão e entrou nos assuntos pautados na reunião como forma de acalmar os ânimos.

Na reunião, acabou ficando decidido que outro encontro será realizado para definir de que forma o executivo poderá atender as reivindicações dos agricultores familiares que querem flexibilização para poderem voltar a comercializar seus produtos em locais públicos da cidade.

Fonte: RSena.com.br