Entrevista com o Médico e Escritor Dr. Bruno Emanuel

 Entrevista com o Médico e Escritor Dr. Bruno Emanuel

O Entrevistado da semana do bocaiuvaonline é filho de Bocaiuva, médico por profissão e durante a pandemia encontrou-se com o seu lado escritor.

Empório Natural

Dr. Bruno Emanuel é filho de Raimundo Cabra e Dade, ele Passou toda a sua infância e juventude em Bocaiuva, estudou o ensino fundamental nas escolas Antonico e Genesco, e em 2001, quando finalizou seu ensino médio no Colégio Professor Servelino Ribeiro, foi que Bruno deixou a sua terra natal. Ele teve uma infância maravilhosa cercada de muitas amizades e com uma liberdade que muito pouco hoje em dia.

Seus pais são seus maiores exemplos de vida e Bruno faz questão de demonstrar seu agradecimento e reconhecimento aos seus pais, “devo tudo que tenho à excelente educação que me deram”. Eles sempre trabalharam muito para dar a seus filhos uma formação de qualidade e conseguiram.

Bruno ingressou na Faculdade de Medicina da UFMG em 2005 tendo concluído a graduação em 2011. Ele é pós-graduação em Alergia e Imunologia na UFRJ e atualmente vive em Natal, no Rio Grande do Norte, onde atua como médico emergencista e como alergista e imunologista.

Uma faceta recém descoberta por ele mesmo é o seu lado escritor, na semana passada pudemos acompanhar o lançamento do seu livro “O canto do sabiá-laranjeira”, que o tema principal dessa agradável entrevista concedida ao bocaiuvaonline.

Bocaiuvaonline – Acompanhamos na última semana o lançamento do seu primeiro livro “O canto do sabiá laranjeira”, como foi essa experiência de escrever o seu livro? Quais foram suas inspirações?

Bruno – A escrita desse livro foi uma das minhas maiores experiências de vida. Eu escrevia um texto aqui, outro acolá, mas não mostrava para ninguém e acabavam ficando engavetados, até que nos dias em que contrai a COVID-19, num dos dias de insônia que tive, levantei da cama, sentei diante do computador e escrevi “Avaliar escrever pequenas estórias contextualizadas na pandemia. Serão estórias interligadas”. Desliguei o computador e fui dormir. No dia seguinte escrevi uma estória e depois disso inúmeros personagens foram surgindo e foram se entrelaçando e o texto foi ganhando tessitura. Comecei a enviar alguns capítulos para amigos e eles foram me dando feedbacks maravilhosos e isso foi uma mola propulsora que me incentivou a escrever cada vez mais. Escrevi durante cerca de trinta dias seguidos, acordava de madrugada para escrever. Quando percebi estava com algo concreto nas mãos. Mostrei para um amigo escritor e ele disse: – Seu livro está pronto. Procure uma editora para publicar. E assim nasceu O canto do sabiá-laranjeira. Minhas inspirações foram minhas experiências de vida, minhas leituras, minhas viagens e minhas preferências musicais.

Bocaiuvaonline – Já há algum tempo o hábito da leitura vem diminuindo gradativamente em nossa sociedade, principalmente agora com a “era digital”, cada vez mais fica difícil encontrar pessoas que mantem esse hábito. O que mais te motivou para escrever o livro?

Bruno – O que mais me motivou foi a vontade latente de escrever algo que tocasse as pessoas nesse momento tão difícil que passamos. Queria levar um pouco de acalanto e conforto para aqueles que estavam presos em casa, confinados em decorrência da pandemia.

Bocaiuvaonline – Qual é a classificação do seu livro (suspense, romance, ficção, etc)? Ele é indicado para todas as idades?

Bruno – Eu tive dificuldade para classificar o livro e algumas pessoas que entendem de literatura também. Alguns consideram como uma novela, outros como uma coletânea de contos entrelaçados, outros como romance. Eu para te dizer a verdade não sei, prefiro que cada leitor tire sua própria conclusão.

Bocaiuvaonline – O senhor é médico de formação, e como todo médico, tem pouco tempo disponível, foi complicado conciliar a profissão de médico com o escritor? O senhor pretende escrever outros livros?

Bruno – Esse livro especialmente foi escrito no meu período de confinamento pela COVID-19, logo tive muito tempo livre. A profissão de médico, como você disse, ocupa muito tempo, mas nos últimos anos eu tenho conseguido conciliá-la com outras atividades, bem como com o ofício da escrita. Pretendo sim escrever outros, aliás já estou trabalhando em três outros livros, dois romances e uma coletânea de contos.

Bocaiuvaonline – Pelo fato de ter a naturalidade interiorana de alguma forma te auxiliou ou facilitou durante o processo de escrever o livro? Memórias, histórias ou contos?

Bruno – Auxiliou muito. Meu avô José Vitorino era um contador de estórias. Ia para a casa dele no bairro Pernambuco e ele sempre tinha algo para contar. Dele herdei o ouvido atento, adoro ouvir estórias e conversas, tenho até que me policiar nos cantos porque fico atento a tudo que está acontecendo ao meu redor, de olho na conversa dos outros para captar algo interessante que poderia me ajudar na construção de minhas narrativas (risos).

Bocaiuvaonline – Ao nosso leitor que estiver motivado e interessado em adquirir o seu livro, como ele pode fazer para comprá-lo?

Bruno – O livro está à venda no site do Amazon.com.br e podem fazer encomenda também pelo WhatsApp (84) 9 8144-8352.

Eu gostaria de convidar a todos para ler o canto do sabiá-laranjeira. O livro está cheio de personagens interessantes e envolventes envoltos em situações de alta carga simbólica. Não é literatura de entretenimento, mas sim de provocação e reflexão. Ao final da leitura algo irá mudar em vocês.

Gostaria de agradecer pelo espaço. Um grande abraço a todos e espero que se encante pelo meu sabiá-laranjeira.