Enderson vê “situação péssima” do Cruzeiro, decepção com revés e releva cobrança de mecenas: “Confio no meu trabalho”

 Enderson vê “situação péssima” do Cruzeiro, decepção com revés e releva cobrança de mecenas: “Confio no meu trabalho”

Treinador afirma que desempenho do time na Série B, até o momento, não pode ser considerado vergonhoso, principalmente pelo fato de ter começado com menos seis pontos

Pressionado por vitórias, que não chegam há cinco partidas (completadas com a derrota por 1 a 0 para o Brasil de Pelotas, nesta quarta-feira, pela Série B), o técnico Enderson Moreira admitiu que a situação do time, atualmente, é péssima na competição, estando a um ponto da zona do rebaixamento para a Série C. Nesta quarta-feira, o time perdeu para o Brasil de Pelotas (veja os lances acima) e aumentou o jejum de triunfos.

– Entramos na competição com menos seis pontos, sem chance de sair (da situação), independente de resultado, não é situação melhor. Nossa situação é péssima, mas era muito pior no começo. Sabia que pagaria preço enorme por não ter seis pontos, conquistei de maneira rápida. Estamos tentando evoluir. Infelizmente, no futebol, quando se apresenta uma sequência de maus resultados, alguém tenta encontrar culpado, um problema. Muitas vezes é questão de encaixe, tranquilidade, aproveitar situações que são criadas – declarou Enderson Moreira.

“Como ser humano e que faço as minhas coisas, que vivo num país democrático, tenho que respeitar (a opinião). Acho que a gente precisa ter respeito. Não foi fácil para ninguém chegar onde chegou (…) Confio no meu trabalho, acho que tenho contribuição grande para fazer ao futebol”

Na coletiva de imprensa, em Pelotas, o treinador ainda contemporizou as declarações do conselheiro e investidor, Pedro Lourenço, que pediu a saída do técnico, no último sábado, após a derrota para o América-MG, no Mineirão.

– Tenho relação é com a direção, pessoas que tenho contato, onde presto minhas contas, onde falo o que penso. O que outras pessoas pensam, não posso controlar. De maneira alguma, concordar ou discordar. Acima de tudo, vivemos num país democrático. Não é fácil: pega a tabela, tira seis pontos de todo mundo, e veja a situação que cada clube estaria. Eu, quem está na direção, infelizmente, não fomos culpados. Pegamos herança difícil, o que cria uma expectativa e uma pressão maior.

“Não é vergonhoso”

Para Enderson Moreira, o desempenho do Cruzeiro na Série B, até o momento, não pode ser considerado vergonhoso. Foram 10 pontos (sendo que seis serviram para abater a pontuação negativa) em 21 jogos.

– Assim, sinceramente, acho que não é vergonhoso para uma equipe, em 21 pontos, fazer 10 no início da competição. A gente lamenta a perda de pontos, a crise financeira (…) Ano passado foi lição para todos, a equipe começou bem, fase boa, Copa do Brasil, Brasileiro, infelizmente terminou como rebaixamento, onde o clube foi devastado não só dentro, mas fora. Tiraram muita coisa do clube.

Enderson valorizou o primeiro tempo do Cruzeiro no Sul, quando o time criou oportunidades, mas pecou na finalização. Apesar de ter chegado em um projeto de reestruturação após a crise que assolou o clube, o treinador não foge da sua parcela de responsabilidade pelo momento ruim em campo.

– Quem pegou o clube tem um projeto de reestruturação audacioso, que tiveram coragem de enfrentar. Eu sabia dessa dificuldade. Não me isento da minha culpa, responsabilidade. Acho que fez a gente fez a melhor apresentação na primeira etapa, era um jogo que gostaria de ver na equipe, assumindo controle da partida, buscando gol de forma incessante durante a primeira etapa. Caímos na segunda, sofremos o gol, numa das únicas chegas dele. Buscamos alternativas, criamos oportunidades, bolas que passam perto. Resultado é decepção para todos nós.

“Temos que ter perseverança, resiliência, humildade. Recebi muitas mensagens de apoio essa semana, que torcem para que possa funcionar. Isso que me apego, me dá força”

Outras respostas de Enderson Moreira:

Análise da partida

– Na hora que você perde o jogo, natural que possa buscar varias razões. Eu, particularmente, tenho tido frieza para avaliar. Primeiro tempo nosso, controlamos bem a partida, finalizamos, a gente não conseguiu fazer o gol. Segundo tempo, acho que caímos de ritmo. Começamos a dar espaço, eles fizeram gol, tiveram chance de ampliar logo depois. Jogamos muito em busca do empate, não tem nada de jogar bola na área, tentamos pelo chão, outras formas. Momento extremamente difícil para todos nós. Às vezes, adversário cria uma chance e faz o gol, criamos 20 e não conseguimos. Temos consciência o que pode ser melhorado. Mas a gente não pode deixar de ver o que foi construído no primeiro tempo. O resultado infelizmente não aconteceu.

Time teve evolução

– Não estou justificando (a derrota), acho que tivemos evolução, sim. Primeiro tempo foi de uma equipe só, buscando resultado, não deu mínima chance do adversário de chegar à baliza. Houve evolução, sim, mas não houve evolução de resultado. Penso o jogo que acho que é positivo. Infelizmente, em alguns momentos, as coisas não acontecem. Grupo de jogadores tem sido fantástico, tem tentando de todas as formas, a gente está perto de evolução significativa. Mas está faltando isso, o que tira pontuação necessária. Trabalho é árduo, honesto, determinante. Precisa continuar evoluindo. A gente não tira da cabeça a cobrança, a gente cobra mais e que a gente possa acontecer.

Fonte: GE