DR. Roberto Dias – Bioquímico Virologista

 DR. Roberto Dias – Bioquímico Virologista

Em entrevista exclusiva ao Bocaiuvaonline, Dr. Roberto Dias esclarece sobre a situação da nossa cidade em relação ao COVID-19

Dr. Roberto Dias é natural de Bocaiuva onde viveu sua infância e juventude, aos 20 anos foi para Viçosa onde graduou-se em Bioquímica pela UFV, agregou à sua carreira um mestrado e um doutorado em Biologia Celular também pela UFV, sempre com ênfase em virologia. Desde o início da sua vida acadêmica tem trabalhado com diferentes vírus de importância pra saúde pública, como dengue, Zika e Mayaro, todos são arbovirus, ou seja, vírus transmitidos por artrópodes, principalmente mosquitos.

Recentemente obteve-se um projeto de vacina aprovado. A vacina consiste na adição de fragmentos do SARS-CoV-2, causador da Covid, à cepa vacinal 17D do vírus da febre amarela, o qual já vem sendo utilizado como vacina há décadas.

Questionado sobre o seu parecer profissional e pessoal sobre o avanço do vírus em nossa cidade, se estamos de fato preparados para o que nos espera, se as medidas adotadas pela Prefeitura Municipal de Bocaiuva estão sendo as mais corretas possíveis, Dr. Roberto Dias nos responde que:

O vírus continua se espalhando pelo interior do estado e do país. As cidades do interior normalmente não tem estrutura de saúde que comporte a demanda gerada pela Covid, sendo o isolamento social a melhor forma de controle. Essa iniciativa da prefeitura de fazer uma restrição por 15 dias é uma forma de tentar controlar, uma vez que nós somos os vetores do vírus. No entanto, é interessante que haja um controle da entrada na cidade, um controle rígido, já que não adianta controlar a transmissão comunitária e pessoas infectadas continuarem a trazer o vírus pra cidade.

Como é sabido e conhecido de todos, os casos em nossa cidade vem aumentando nos últimos dias e já ultrapassa os 20 casos confirmados, mediante isso, foi questionado ao Dr. Roberto que estamos atravessando o pico de contágio em nossa cidade

Os casos estão começando na cidade, ainda não chegamos no pico. Por isso torna-se tão importante o controle da contaminação nesse momento, para que consigamos reduzir a contaminação e assim achatar a curva ou mesmo, na melhor das hipóteses, eliminar a transmissão comunitária.

Como nosso conterrâneo, questionamos ao Dr. Roberto se ele estaria envolvido em algum trabalho ou estudo específico sobre Covid-19 em relação à Bocaiuva nesse momento

Estamos com projetos com Covid, mas todos são trabalhos que visam o aprimoramento e redução de custos do diagnóstico, além da vacina a qual mencionei anteriormente. Mas não temos nenhum trabalho epidemiológico sendo realizado na cidade pelo nosso laboratório na UFV

Como já relatado aqui, pelo próprio Dr. Roberto, vários estudos, no Brasil e no mundo estão focados na criação de uma vacina para o Covid-19, essa é a expectativa geral da população mundial, questionado sobre a eficácia da vacina, Dr. Roberto nos responde

Para qualquer vírus o objetivo é que se desenvolva uma vacina. Alguns vírus possuem peculiaridades que tornam essa tarefa mais complexa, como é o caso do Influenza (vírus da gripe) e da dengue. Mas ainda assim, a vacina é a melhor opção.

Porém, como ainda não temos acesso à vacina, Dr. Roberto ainda salienta que certas medidas são fundamentais, tais como a lavagem das mãos e uso de máscara é uma forma de reduzir a probabilidade de contágio, contudo, não são por si só suficientes para o controle numa cidade. Principalmente quando consideramos que boa parte das máscaras que as pessoas estão usando não são as mais adequadas. Entao, dentro dessa perspectiva, a máscara e álcool são medidas acessórias, que vem complementar as medidas de distanciamento social.