Cáceres coloca atuação contra Chape como padrão para Cruzeiro seguir evoluindo na Série B

 Cáceres coloca atuação contra Chape como padrão para Cruzeiro seguir evoluindo na Série B

Lateral destacou concentração e inteligência da Raposa para superar a líder da competição

O lateral-direito do Cruzeiro, Raúl Cáceres, colocou a vitória da equipe contra a Chapecoense, fora de casa, por 1 a 0, na última segunda-feira, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B, como o padrão de atuação necessário para que a equipe celeste siga subindo na tabela de classificação da competição.

Em entrevista concedida ao canal do Cruzeiro no YouTube nesta quinta-feira, Cáceres destacou a concentração e a inteligência da Raposa para superar a líder da competição. Segundo o lateral, as virtudes devem ser repetidos já nesta sexta-feira, quando a equipe celeste encara seu próximo compromisso pela Série B, contra o Confiança, às 21h30, no Mineirão, pela 24ª rodada.

“A gente precisa ter o mesmo jogo que tivemos contra a Chapecoense. Temos que ser inteligentes. O Confiança é um time bom, ganhou outro dia também. Todos os times contra o Cruzeiro jogam o dobro do que jogam normalmente. Então, a gente não pode se acomodar, temos que continuar naquele caminho que nos deu a vitória contra a Chape. Acho que o time está bem, concentrado, e vai chegar muito bem para o jogo de amanhã”, disse Cáceres.

Além de repetir o fator concentração, o Cruzeiro poderá também repetir a formação de um ataque alternativo ao que vinha escalando o técnico Luiz Felipe Scolari. Diante da Chapecoense, Felipão sacou Marcelo Moreno e mandou a campo uma Raposa sem um centroavante fixo. O boliviano até entrou no segundo tempo da partida, mas fato é que Rafael Sobis, que não é um clássico camisa 9, foi escalado para comandar o ataque.

Na visão de Cáceres, se Felipão optar pela continuidade do modelo tático sem a presença do centroavante, o Cruzeiro precisa se adaptar, principalmente optando por um estilo de jogo que busque trica de passes mais curtos.

“Temos que buscar jogar mais no chão. Mesmo para minha posição, quando vou para a parte ofensiva, eu tenho que ser muito preciso na hora do cruzamento, porque no outro dia [segunda-feira] jogou Sóbis, que gosta mais de um jogo associado, de aproximar. Ele não fica tanto na área. Então, a gente precisa se aproximar, se encontrar para chegar bem ao ataque”, explicou.

Fonte: Itatiaia