BOMBA

Segundo o vereador Odair Cantor, diversas irregularidades foram encontradas nas contas da ex-Prefeita e serão levadas ao plenário na próxima segunda-feira.

Analisadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) e enviadas à Câmara de vereadores de Bocaiuva, desde o mês de maio deste ano, o projeto que vota as contas da ex-prefeita Marisa Alves (PSB), referente ao ano de 2019, depois de passar pela Comissão de Orçamento, Finanças e Retomada de Contas, seria votado na última segunda-feira (18), porém, o Vereador Odair Evangelista dos Santos, o Odair Cantor (REPUBLICANOS), solicitou vista do projeto, mais tempo para análise, afirmando veementemente, haver muitas irregularidades, as quais seriam apontadas uma a uma.
O Presidente Odair José dos Santos, o Odair Sorriso (AVANTE), tentou resistir ao pedido do colega, alegando que o tempo estipulado pelo Tribunal de Contas, para a votação das contas, quatro meses, poderia vencer, o que causaria problemas a ele; mas, convencido pela maioria dos seus pares, submeteu o pedido ao plenário e, o Vereador Cantor, conseguiu mais três dias, para fazer sua análise.

banner

O prazo concedido a Odair, venceu na última quinta-feira (21).

Procurado por esse Jornalista, o edil afirmou que, como ele havia previsto, foram encontradas várias irregularidades e que, levará ao conhecimento de todos. Ainda segundo Odair, a responsabilidade está sobre aqueles que teem a função de julgar, embora, a Câmara tenha recebido recomendação do TCE-MG, para aprovação.

ENTÃO…

A responsabilidade de julgar as contas da ex-prefeita, rejeitando ou aprovando, independentemente da da posição do TCE-MG, é da Câmara de vereadores. A tarefa é difícil, porque a rejeição traz sanções à ex-mandatária, inclusive, a inelegibilidade, por até oito (8) anos. Odair Cantor que, está exercendo o seu segundo mandato consecutivo, corajosamente, atraiu para si, a obrigação de mostrar àqueles que estão determinados a acatar a recomendação do Tribunal de contas que, eles não analisaram o suficiente. Se Odair Cantor, trouxer provas suficientes para a rejeição das contas e a maioria, ainda assim, optar pela aprovação, estariam traindo a própria consciência e despertando muitos questionamentos na população. Por outro lado, se o Cantor não apontar nenhuma irregularidade insanável, pode soar como “rusga” politica e, consequentemente, a pressão muda o foco.
Vale lembrar que, para a aprovação ou rejeição das contas, é necessário dois terços (2/3) dos votos.
É ISSO AÍ!

Por William Macedo