Bocaiuva ainda não vacinou os idosos do Lar São Vicente de Paulo

Presidente do Asilo enviou oficio à secretaria de saúde no último dia 20 e não recebeu nenhuma resposta até o momento

Bocaiuva já recebeu a primeira remessa das vacinas para o combate ao coronavírus ainda na semana passada, foram 421 doses, que de acordo com o governo estadual deveriam ser aplicadas em 3 grupos da sociedade, que são eles: pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência (ex: lares de idosos ou asilos), pessoas a partir de 18 anos de idade com deficiência, residentes em unidades de acolhimento e população indígena que vive em aldeias

No mesmo post o governo também indica que a prioridade também seja para os funcionários da área da saúde que estão na linha de frente do combate ao COVID-19, que são elas: equipes de vacinação, equipes no atendimento nas Instituições de Longa Permanência (ex: lares de idosos) e para as equipes que lidam diretamente com casos suspeitos confirmados da COVID-19.

Entretanto, nenhuma dessas 421 doses foram destinadas para o Asilo de Bocaiuva, conforme nos conta Dauane Fuzita, presidente do Lar São Vicente de Paulo de Bocaiuva:

“Até hoje nossos idosos não receberam a vacina nem fomos informados de quando serão vacinados, apesar de todos os vídeos postados pelo secretário afirmando que seriam”

O Lar São Vicente de Paulo de Bocaiuva faz parte do Conselho Metropolitano de Montes Claros que abrange outros 14 Asilos situados nas cidades da região e até o momento apenas Bocaiuva não teve os idosos vacinados.

“Somos 15 Asilos, incluindo Bocaiuva, que pertencem a esse conselho e apenas o nosso não foi contemplado com a vacina”. Desabafou Dauane.

A vacinação no lar São Vicente de Paulo em Bocaiuva tem como principal meta imunizar os idosos quanto ao contágio do Corona Vírus, porém, existem outras correlações atreladas à vacina que são de cunho familiar e pessoal, por isso cada segundo conta para a vacinação.

Desde o início da pandemia os idosos internados no Asilo estão proibidos de terem contato com qualquer outra pessoa de fora da entidade, ou seja, não estão tendo nenhum tipo de contato com os seus familiares, o que transforma a pandemia em algo muito mais complexo e desumano.

“Os familiares estão nos cobrando… Os idosos já estão sem poder ver seus parentes desde o início da pandemia e até que tomem as duas doses permanecerão sem poder e isso é realmente muito triste”. Salientou Dauane.

Dauane ainda informou que são 62 idosos internados no Asilo e que a maioria são acamados e ou com comorbidades, o que aumenta ainda mais a urgência na vacinação. Além dos idosos o Asilo conta com mais 32 funcionários que tem contato frequente com os idosos e estão sujeitos à transmissão do vírus, tanto no contágio quanto na contaminação.

Mesmo sabendo que a prioridade também é para outros segmentos, a presidente do Asilo desabafa à nossa reportagem, com um sentimento de incapacidade, totalmente dependente da secretaria de saúde e sabido que, como o próprio secretário já informou, que não existe idosos encarcerados em Bocaiuva e nem população indígena, que todas as doses tenham sido destinadas ao profissionais da saúde.

“Não acredito que tenhamos 421 profissionais no hospital na linha de frente do COVID”. Desabafou Dauane.

Entramos em contato com a secretaria de saúde através da pessoa do Secretário da pasta Renato Teixeira para explicações pertinentes ao caso e até o momento da publicação desta reportagem não conseguimos obter retorno.