10% do total de infectados em apenas 1 dia

 10% do total de infectados em apenas 1 dia

Número de infectados cresce em Bocaiuva mas o número  de pacientes ocupando os leitos destinados à COVID-19 diminui

Na noite dessa quarta-feira (05/08), a Prefeitura Municipal de Bocaiuva publicou o Boletim Epidemiológico COVID-19, como já é de costume, que trouxe várias informações sobre o avanço da pandemia em nossa cidade.

E pela primeira vez em mais de 35 (trinta e cinco) dias, o número dos casos confirmados entra na casa dos 2 (dois) dígitos, sendo 10 nas últimas 24 horas, a última vez que o boletim tinha apresentado tantos casos em um único dia foi ainda no mês de junho, no dia 30.

De lá pra cá muita coisa aconteceu e várias ações foram implantadas em Bocaiuva buscando o controle e posteriormente a diminuição do contágio. Decretos foram publicados  e rotinas paulatinamente alteradas, ficamos alguns dias animados e até comemoramos com o não surgimento de novos casos, porém, o vírus não desapareceu e o contágio voltou a nos assombrar.

Na noite dessa quarta-feira, ultrapassamos o número de 100 (cem) casos confirmados apenas de Bocaiuva (sem contar com os números de pessoas de outras cidades que estavam em Bocaiuva quando foram dignosticadas), e tivemos um aumento de 10% do total de casos confirmados no geral. Números que deixam os cidadãos bocaiuvenses mais temerosos e ressabiados no retorno às suas atividades normais e rotineiras.

Isso só vem à confirmar que a pandemia não está controlada em nossa cidade, assim como na maioria do Brasil, que todas as ações impostas pela prefeitura são de suma importância e que somente a nossa conscientização fará a diferença nessa guerra, aliada ao uso de máscara corretamente (não como se em muitos momentos no dia a dia no rosto dos nossos conterrâneos, pendurada nas orelhas ou encolhida embaixo do queixo), da higienização frequente das mãos e do isolamento social; essas ações podem salvar a sua vida e de sua família.

O ponto positivo, pelo menos até o momento da publicação do Boletim Epidemiológico, é a baixa taxa de ocupação dos leitos na Ala da COVID-19 no Hospital Regional Dr. Gil Alves, que está apenas com 10% de sua ocupação total, ou seja, apenas um paciente, já que o total de leitos nessa ala são 10.

E esse número é muito importante, não apenas para o controle e evolução da pandemia, mas também porque impacta diretamente no funcionamento do comércio local. A nossa cidade já evoluiu bastante na prevenção e controle da pandemia, o comércio que foi um dos segmentos que mais sentiu as restrições impostas, necessariamente, pelos decretos municipais, já está voltando, paulatinamente à normalidade.

Porém, existe uma orientação do Governo do Estado para que quando o município não tenha leito de CTI, que é o caso de Bocaiuva, atinja a taxa de ocupação da ala do COVID-19 igual ou superior à 80% da sua capacidade total, ou seja, no caso de Bocaiuva, 8 (oito) pacientes ou mais, o município tenha que tomar medidas de restrição, funcionando apenas os comércios considerados essenciais, o que impactaria diretamente na economia e na nossa rotina, preocupação essa que é inexistente no momento devido à baixa porcentagem de leitos na ala do COVID-19 ocupados.

Números esses que estão ligados diretamente ao segundo ponto positivo, até o momento, que trás o Boletim dessa quarta, que é o total de pessoas curadas, 85 (oitenta e cinco), que é um número considerável, principalmente levando em conta o número total de casos confirmados, como já mencionado aqui, que são 110.

Entretanto, temos um número de casos entre os confirmados e os curados, ou seja, os que estão em quarentena domiciliar, podem fazer toda a diferença nesses números e no cenário municipal da pandemia e do funcionamento do comércio, pois depende da evolução desses quadros a funcionalidade da nossa cidade.